Vereador é preso em flagrante

Advogado Leandro Vasques acompanhou o vereador ‘Aonde É’, que foi conduzido ao 2º DP, na Aldeota, para prestar depoimento
FOTO: ÉRIKA FONSECA

Assessor denunciou que o parlamentar teria exigido quantia referente ao salário da vítima sob ameaças

O vereador de Fortaleza Antônio Farias de Souza, o ‘Aonde É’, 39, foi preso por volta do meio-dia de ontem nas proximidades de uma agência do Banco do Brasil na Avenida Monsenhor Tabosa, na Praia de Iracema. De acordo com a Polícia, ele estaria ameaçando e obrigando um assessor a lhe repassar o dinheiro do salário. A defesa nega a acusação, alegando ‘equívoco de interpretação’ por parte dos policiais.

De acordo com a delegada titular do 2º DP (Aldeota), Socorro Portela, ‘Aonde É’ foi preso após denúncia da própria vítima. “O assessor ligou para a Polícia, informando que estava se sentindo ameaçado pelo vereador, que exigia dele o dinheiro do salário. Quando os policiais foram até o local indicado, encontraram ‘Aonde É’ recebendo o dinheiro e o prenderam em flagrante”, explicou.

O crime cometido, de acordo com Socorro, é o de concussão. “É o artigo 316 do Código Penal. Exigir, para si ou para outrem, direta ou indiretamente, ainda que fora da função ou antes de assumi-la, mas em razão dela, vantagem indevida. Tem pena de reclusão de dois a oito anos e não cabe fiança. Somente uma ordem judicial pode liberá-lo”.

De acordo com a vítima, que não teve o nome divulgado, o vereador estaria exigindo a quantia de R$ 1.900, que seriam referentes ao pagamento do salário do mês.

“A suposta vítima nos disse que vem sendo ameaçada desde o mês passado. Quando foi feita a primeira exigência, o assessor pediu demissão, mas não foi concedida pelo vereador. Este mês, com a repetição do ato, o assessor resolveu entrar em contato com a Polícia”, afirmou a delegada. A vítima assessora o vereador desde fevereiro de 2013. Policiais da Divisão de Inteligência da Polícia Civil (DIP) realizaram o flagrante.

Defesa alega equívoco

Em agosto, Ministério Público e Polícia Civil cumpriram mandados de busca e apreensão na residência e no gabinete do vereador, em Fortaleza

O advogado Leandro Vasques, que defende o vereador, afirma que os policiais erraram ao prender o vereador. “Houve um erro de interpretação por parte da Polícia. O vereador e o assessor possuem um amigo em comum, que emprestou dinheiro à suposta vítima. Meu cliente estava lá apenas por conhecer os dois. Ele não tocou em dinheiro algum, pois era um empréstimo para o assessor”, afirmou.

Há, segundo as palavras do advogado, ‘perseguição’ contra ‘Aonde É’. O advogado sugere que exista um ‘monitoramento permanente’ montado para incriminar o vereador.

“Ele estava sendo monitorado, perseguido. Isso é um grande picadeiro montado”, disse.Vasques afirmou que pode, também, recorrer aos plantonistas no Tribunal de Justiça (TJCE) para a liberação do cliente durante o fim de semana.

“Vou analisar com cautela e avaliar a oportunidade e necessidade de ingressar com alguma medida no fim de semana. Mas o vereador, garanto, está tranquilo. Ele é um cidadão simples, que não possui vícios políticos que o induzissem a algum crime”.

Desvios

‘Aonde É’ vem sendo investigado pelo Ministério Público por suposto desvio de verba parlamentar. No dia 8 de agosto, três mandados de busca e apreensão foram cumpridos. Segundo o MP, foram encontrados contracheques de servidores juntos a uma relação com o nome de cada servidor na casa do vereador.

Levi de Freitas
Repórter

FONTE DN

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s