Familiares de presidiárias bloqueiam BR-116 em protesto contra sanção de visitas

1911757_767286349996676_4008360466558881067_n
Entre 100 e 120 detentas perderam o direito de receber visitas neste domingo (21) após briga e motim ocorridos no último sábado

Familiares de detentos realizam protesto
Cerca de 100 familiares bloquearam parcialmente a BR-116, em protesto contra a sanção sofrida pelas detentas

Cerca de 100 familiares de presidiárias do Instituto Penal Feminino Auri Moura Costa realizaram manifestação e bloquearam parcialmente a BR-116, no sentido Interior-Capital do km 26,8 da rodovia, Aquiraz, na manhã deste domingo (21).

As famílias protestaram contra a punição que foi imposta às detentas da unidade que estão nas alas Vivência D e Vivência E, neste domingo. Após uma briga e início de motim que aconteceu no último sábado (20), as internas desses setores do presídio, cerca de 220, perderam o direito de receber visitas. Os familiares alegam que a medida é injusta com as presas que não participaram da confusão e reclamam de desinformação, principalmente sobre a duração da sanção, que não foi esclarecida pela coordenação do presídio.

Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF), que acompanhou a manifestação, a barricada formada pelos familiares interditou a BR-116 por volta de 9h, causando engarrafamento, até 9h35. A coordenadora do sistema penitenciário, Socorro Matias, precisou comparecer ao protesto para conversar com as famílias, conforme informou a assessoria de comunicação da Secretaria da Justiça e Cidadania (Sejus).

Confusão começou com apreensão de celulares no presídio

A confusão que resultou na medida de sanção disciplinar começou na última sexta-feira (19), segundo a SEJU. Os agentes penitenciários encontraram e apreenderam 2 celulares na posse da interna Rosangela Costa de Lima.

A apreensão levou 10 detentas a agredirem outras duas internas da Vivência D, que precisaram sair da carcerária para receber atendimentos médicos, no último sábado (20). No mesmo dia, um motim se formou, com queima de colchões.

Além da sanção das visitas, as 10 detentas identificadas por ter agredido as outras duas companheiras de ala foram levadas a delegacia, para serem autuadas por dano ao patrimônio público.

O Instituto Penal Feminino Auri Moura Costa possui um total de 680 detentas e é o único presídio exclusivamente feminino do Ceará, recebendo mulheres infratoras de todo o Estado.

*Com informações da repórter Iracema Sales.

Protesto congestionou o trânsito na BR-116:

FONTE DN

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s