Juazeiro do Norte lembra hoje os 110 anos de nascimento do Padre Silvino


Padre Silvino e a Capela do Socorro na época em que ele era capelão. (Foto: Agência Miséria)

O Site Miséria lembra nesta quarta-feira a passagem dos 110 anos de nascimento do primeiro capelão da Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro em Juazeiro do Norte. Assim, presta homenagens ao padre Silvino Moreira Dias que nasceu no dia 20 de agosto de 1904 no Sítio Timbaúbas em Juazeiro do Norte ou 30 anos antes da morte do Padre Cícero Romão Batista.

Ele era filho de José Moreira Dias Sobreira e Ana Moreira de Souza, conhecida como Santa, de cujo casamento nasceram os filhos: Pedro, Raimundo, Vicente, Chiquinho, José, Olimpio, Antonio, Quintino, Carolina, Idalina, Heroína e Ermínia. Foi aluno do Seminário da Prainha em Fortaleza, mas sua ordenação aconteceu em Petrolina (PE) no dia 29 de junho de 1935 quase um ano após a morte de Padre Cícero.

Naquela cidade, Padre Silvino foi secretário do bispo, professor do Seminário Diocesano e Vigário. Ainda em Pernambuco, tornou-se Vigário de Exu e de Serrita. A partir de 1939, junto à Diocese do Crato, ele exerceu as funções de Pro-Pároco de Missão Velha, Vigário de Araripe, Iguatu e Barbalha. Em Juazeiro, a partir de 1946, foi Capelão das Missionárias de Jesus Crucificado, Cooperador de Nossa Senhora das Dores e o primeiro Capelão do Socorro.

Padre Silvino esteve presente ao lançamento da pedra fundamental do Convento e Santuário dos Capuchinhos no dia 6 de Janeiro de 1950, em Juazeiro, quando do brutal assassinato do monsenhor Joviniano Barreto a golpes de faca desferidos por um louco. O sacerdote tinha o hábito de celebrar diariamente uma missa às 6 horas da manhã com duração de apenas 20 minutos.

Logo após, se deslocava ao Sítio Boca das Cobras para a ordenha do gado e, posteriormente, capinação o que fazia de batina, pois nunca deixou de usá-la mesmo nos momentos em que estava trabalhando no campo. Padre Silvino morreu aos 72 anos no dia 17 de março de 1976, em Juazeiro e foi sepultado no túmulo da família no Cemitério do Socorro. A praça no adro da capela ganhou o seu nome além de uma rua em Juazeiro.

fonte miséria

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s