Haiti é aqui ! Complexo do Maré.

policia militar complexo alemão

A ocupação do Complexo da Maré demorou menos de 15 minutos com participação da Polícia Militar, Polícia Civil, Polícia Federal, além da Marinha brasileira. A operação teve participação de 1.180 policiais militares e 132 policiais civis com apoio de 21 blindados da Marinha. Uma cerimônia de hasteamento da bandeira nacional encerrou a tomada do complexo, segundo informou o jornal Folha.

O Complexo da Maré conta com 15 favelas e compõe de 130 mil moradores. O complexo como é denominado era dominado por duas facções criminosas, traficantes de drogas e uma milícia armada. Para quem não tem familiaridade com o termo, a milícia armada é composta pelos integrantes dos policiais militares da ativa e reformados que atuam, clandestinamente, para exploração de comércio clandestino e de todo tipo de serviços.

O conjunto de favelas é delimitado pela Avenida Brasil, entrada da Rodovia Dutra à cidade de Rio Janeiro, por um lado e por outro lado a Linha Vermelha que liga o Aeroporto Tom Jobim ao centro da cidade de Rio de Janeiro. O conjunto, ainda é cortado por Linha Amarela que liga Ilha do Fundão, onde se localiza a UFRJ, à zona oeste da cidade. A descrição geográfica foi feita, exatamente, para mostrar a importância e o tamanho do Complexo da Maré.

Pois, este complexo que, geograficamente, faz parte integrante da cidade de Rio de Janeiro, funciona como enclave dentro da própria, sem a presença efetiva do poder público. Digo e repito, funciona com ausência total do poder público, como um verdadeiro “enclave” dentro da segunda maior cidade do País. É como uma “cité du soleil” do Haiti, localizado dentro do território brasileiro. Para quem não sabe, a cité du soleil é tutelada pelo Exército brasileiro à serviço das Nações Unidas.

Para confirmar a minha afirmação de que o complexo era um “enclave” dentro da cidade de Rio de Janeiro, basta ver que com a “tomada” do Complexo, simbolicamente foi hasteamento da bandeira brasileira, como se aquele território, pela primeira vez fizesse parte do Brasil. Diga-se de passagem, uma verdadeira operação de guerra, para “tomada” do território, antes pertencentes às facções criminosas.
Nem é preciso explicar que este tipo de “enclave” existe por causa da ausência completa do poder público. Comunidade é eufemismo para descrever uma verdadeira cidade dentro da outra maior. É fácil de constatar a ausência de demais serviços públicos essenciais, como unidade de pronto atendimento à saúde pública e também unidades de ensino fundamental, assim como creches para dar suporte às mães trabalhadoras. Além, é claro, da delegacia de polícia.
Não adianta nada a instalação das UPP, simplesmente, com instalações provisórias de delegacias de “latas”, abrigados em containers. Seria necessário que construção de delegacias fosse feito em forma definitiva, além das unidades de pronto atendimento de saúde, escolas de ensinos fundamentais, creches para crianças e demais serviços públicos essenciais além das já nominadas.

Diante desta situação da ausência do Estado, tanto municipal, estadual ou federal, as “ocupações” de complexos, seja do Alemão, da Rocinha ou da Maré, cheira interesse político eleitoreiro do que propriamente atendimento efetivo à necessidade da população. A ocupação do Complexo da Maré, parece atender à realização da Copa 2014, bem como servirá de base para campanha eleitoral da presidência da República.
Coincidentemente ou não, a ocupação ocorre na véspera da desincompatibilização do governador Sérgio Cabral para concorrer ao Senado Federal. O ano de 2014, também, é marcado pela tentativa de reeleição da presidente Dilma ao cargo de presidência da República. No aspecto político, este País, mais parece Haiti do que outrora fora a República Federativa do Brasil.
Há que os postulantes de mais altos cargos públicos da República tomem atitudes mais próativas para inserção da população menos favorecida ao contexto da sociedade brasileira. Não basta delegacias de latas espalhados pelos quatro cantos! Não basta discursos de inserção social, sem que leve os serviços públicos de qualidade à comunidade “pacificada”.

Acorda Sérgio Cabral ! Acorda Dilma ! O povo está de olho em cada passo de vocês!
Ossami Sakamori

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s